De 2007 a 2016, houve um aumento de 143% nos casos de picadas de escorpiões, segundo pesquisadora da Universidade Federal da Bahia.

 

O número de acidentes envolvendo animais peçonhentos tem aumentado nos últimos anos no Brasil, de acordo com a Epidemiologista Yukari Figueroa Mise, professora doutora do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia. Com pesquisas na área de epidemiologia dos envenenamentos por animais peçonhentos e saúde do trabalhador, a professora é uma das maiores especialistas do assunto no país. Em conversa com a Revista Preven,Yukari falou como lidar com esse problema que afeta milhares de trabalhadores rurais.

Preven: Qual é a recorrência de acidentes de trabalho envolvendo animais peçonhentos no Brasil?

Yukari: O risco de acidente de trabalho envolvendo serpente é de 39 casos para cada 100 mil trabalhadores contra 13 casos para cada 100 mil habitantes na população em geral. No ano de 2016,  tivemos o registro de 27 mil casos de picadas de serpentes, 90 mil de escorpiões e 27 mil de aranhas. De 2007 a 2016, houve um aumento de 143% dos casos com escorpião, 26% de aranha e uma queda de 1% no caso de serpentes.

Preven: Por que está ocorrendo este aumento de acidentes por animais peçonhentos?

Yukari: Devido à falta de estrutura das cidades. Como tem piorado a promoção de saneamento básico e coleta de lixo adequada, isso tem crescido.

Preven: Qual tipo de animal peçonhento é mais nocivo?

Yukari: São as cobras, porque o veneno é mais prejudicial ao ser humano. No entanto, o que causa mais dor às pessoas é a picada de escorpião.

Preven: Qual tipo de trabalhador rural está mais exposto a esse tipo de acidente?

Yukari: São os trabalhadores que fazem o cultivo e a colheita. A ocorrência de animais peçonhentos vai depender do tipo de cultura que ele trabalha. Por exemplo, quem trabalha com plantação de tomate corre menos riscos do que quem trabalha com cacau, pois como os produtores de tomate usam muito agrotóxicos eles acabam afastando os animais peçonhentos. Já o cacau é cultivado em ambiente de mata, onde a presença de animais peçonhentos é maior.

Preven: O que ocorre com um ser humano quando é picado por um animal desses?

Yukari: Ele tem um inchaço e vermelhidão no local da picada. Alguns venenos atacam o sistema nervoso central.

Preven: Quais são os cuidados necessários para evitar acidentes?

Yukari: Usar luvas e botas é muito importante. No caso das cobras, a bota é essencial, já que 70% das picadas ocorrem abaixo do joelho. Também é importante sacudir luvas e botas antes de vestí-las, pois elas podem servir de abrigo para os animais.

Preven: Após um acidente com animais peçonhentos, qual é o procedimento adequado?

Yukari: Lavar com água o local da picada, pois no caso da cobra a boca dela contém muitas bactérias e levar a vítima para uma unidade de saúde mais próxima para ser atendida.

Preven: Como você avalia a atuação das autoridades brasileiras de saúde em relação ao problema dos animais peçonhentos?

Yukari: O Brasil é referência no tratamento de acidentes com peçonhentos porque como foi Vital Brasil que descobriu o soro, ele doou a patente para que todos os brasileiros recebêssemos o remédio gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o que não ocorre na Argentina, por exemplo, onde é necessário pagar para se ter o tratamento. Mas apesar de ser uma referência, o país precisa treinar mais os profissionais de saúde para que eles sejam capazes de atender melhor as vítimas, indicando o tratamento correto. Para cada tipo de animal é necessário um tipo de soro. Geralmente, a vítima não leva o animal que a picou, então é o profissional de saúde que tem que identificar por meio dos sintomas apresentados qual é o tipo de tratamento mais adequado. A aplicação de um tratamento errado pode causar piora no quadro de saúde do paciente e até a sua morte.

Quando uma pessoa é picada, não se deve fazer torniquete, chupar o veneno ou usar ferro em brasa. O local da picada deve ser apenas limpo com água e ir imediatamente ao médico.

Preven: O que não se deve fazer quando uma pessoa é picada?

Yukari: Torniquetes, chupar o veneno e usar ferro em brasa.  Nada disso resolve. O local da picada deve ser apenas limpo com água.

Preven: O que atrai os animais peçonhentos a um ambiente e o que deve ser feito para evitar a presença deles?

Yukari: Os animais peçonhentos são atraídos ao lugar por conta da oferta farta de alimentos para eles. Os escorpiões se alimentam de baratas, então locais onde há muitas baratas são atrativos para escorpiões. No caso das cobras, são os ratos. Em locais que há muitos roedores, o índice de cobras é grande. Já as aranhas também se alimentam de baratas. Locais que têm rios e lagos também são mais propícios aos animais peçonhentos, porque são lugares onde animais buscam hidratação.

Para evitar de forma natural a presença de animais peçonhentos em propriedades rurais, é necessário um controle de pragas, como baratas e ratos. Por exemplo,a presença de aves nos locais é uma boa medida, já que elas são predadoras naturais de escorpiões, cobras e aranhas. Outra medida é evitar o acúmulo de madeiras e entulhos.