As mudanças e desafios impostos pela pandemia durante o ano de 2020 persistem mesmo com a virada do ano.

O ano de 2021, particularmente, se iniciou sob circunstâncias difíceis com o aumento nas taxas de infecção pela Covid-19 e seus desdobramentos.

Mais do que nunca, esse período ainda próximo ao réveillon é marcado por promessas, expectativas e votos de esperança por um futuro melhor e somos tomados por um momento de reflexão profunda diante da situação em que vivemos.

Estamos em um confronto entre esses rituais otimistas e as fortes dificuldades despertadas pela pandemia, aprendendo a importância da nossa saúde mental para enfrentar um período tão sensível como esse.

A busca por termos relacionados a transtornos mentais durante a pandemia cresceu em 98%, de acordo com o Google Trends. E é nesse contexto que o Janeiro Branco, campanha criada por entidades de saúde em 2014, ganha uma importância ainda maior neste início de década.

O Janeiro Branco tem como proposta chamar atenção para o tema de saúde mental, principalmente por causa da virada do ano e o enfoque que damos às metas e resoluções.

É um ano de esperança e renovação, precisamos cuidar de nós mesmos para que possamos superar tudo o que estamos vivendo.

Sob estas circunstâncias é preferível que uma grande meta seja desmembrada em menores e distribuídas a curto, médio e longo prazo. Em tempos de incertezas, precisamos evitar planejamentos muitos distantes e criar metas próximas que incentivem nossa motivação.

Além de nos ajudar com responsabilidades e vícios, a rotina faz com que sejamos obrigados a viver o hoje. Quando temos uma lista de afazeres para o dia, somos menos tentados a nos prender às angústias do passado ou aos anseios do futuro.

Ter um horário para acordar, dormir, trabalhar e, principalmente, para cuidar de si é essencial para uma vida mais saudável.

Precisamos reservar pelo menos 30 minutos do dia, todos os dias, para cuidarmos de nós, através de algumas práticas básicas de autocuidado, como  praticar atividade física, dançar, cantar, manter uma alimentação balanceada e fazer terapia.

Hábitos e atitudes saudáveis para com nós mesmos são bem-vindos ao nosso corpo e mente, e não há problema em procurar ajuda.

Quando ações rotineiras passam a incomodar é um sinal de alerta para que a pessoa procure um profissional. O mês chama atenção para um tema cada vez mais relevante para a sociedade contemporânea: a saúde mental e a importância dela na vida das pessoas.

A prevenção é a maior preocupação quando se trata de qualidade de vida e bem-estar.