Você já deve ter parado para pensar – como é difícil estar perto das pessoas novamente após tantos meses trabalhando em formato home office sem socializar com as pessoas em um mesmo ambiente. O termo “antissocial” passou a ser abordado e inserido na sociedade, pois fomos forçados, pelo menos em termos físicos, a nos isolarmos por conta de uma pandemia.

Como resultado, muitas pessoas estão achando bem estranho qualquer interação social pessoal – principalmente quando nos sentamos em uma sala com outro ser humano.

Uma pesquisa realizada pela Escola de Negócios ISE Business School, revelou que 80% dos gestores aprovaram o trabalho remoto e gostariam que a prática fosse permanente, porém, essa mesma análise apresentou que para alguns a flexibilidade de horários aumentou a produtividade e a qualidade de vida.

Já para outros, lidar com a família e os afazeres domésticos durante o trabalho, elevou o estresse e os níveis de ansiedade.

Algumas empresas estão retornando gradualmente para trabalhar de forma híbrida em seus escritórios, garantindo a segurança e a saúde dos colaboradores, essa é a principal missão das companhias nesse momento.

Com o isolamento e em home office nós rompemos três fatores fundamentais para as relações sociais. As transformações e cumprimentos às readaptações levarão a humanidade a uma reflexão muito importante. São elas:

  • Corporeidade: com o isolamento, as tecnologias digitais foram a solução encontrada para a manutenção do trabalho. No entanto, os sinais corporais que ajudam na comunicação são parcialmente perdidos em reuniões realizadas através dos aplicativos corporativos, por exemplo.
  • Qualidade comunicativa: outro efeito foi o incentivo para que falemos continuamente, evitando os silêncios constrangedores nas reuniões virtuais, por exemplo. Hoje em dia perdemos a sensibilidade mais intuitiva para conversar.
  • Tempo: a nossa relação com o tempo também foi extremamente afetada, pois não temos mais contato com o ritmo das outras pessoas, baseando-nos apenas em nossa própria rotina.

A sensação é de que o tempo parou, e na incapacidade de planejar o futuro, a sequência de acordar, trabalhar, estudar, realizar as demais tarefas do cotidiano se repetem ininterruptamente.

Passamos por uma nova adaptação, dessa vez com relação à disponibilidade de estarmos com outras pessoas e construir um diálogo e tudo isso pode causar uma certa ansiedade nas pessoas, o que é normal neste primeiro momento.

Essa intoxicação digital a que fomos inseridos causou muitas dificuldades psicológicas e perdas. Então, socializar novamente com as pessoas será um processo de readaptação muito importante e digo mais, dolorido, pois somos seres humanos que se relacionam.

Hoje, as pessoas buscam uma forma de trabalho que ofereça bem-estar, benefícios psicológicos, e nós percebemos que em algum momento, os colaboradores sentiam saudades de estar com os demais colegas de trabalho no mesmo ambiente, mas também buscam qualidade de vida.

Por isso é que durante todo o processo da volta é importante sermos pacientes e gentis com todos e lembrar a resiliência social que começa a se revelar diariamente.