Em momentos de crise, em que o mundo está em uma ‘guerra’ comum na luta contra o Covid-19, muitas pessoas estão na linha de frente.

Os servidores da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) estão entre elas.

Contudo, fazer parte deste grupo de profissionais que precisa estar nas ruas trabalhando para manter a segurança do Estado de São Paulo e do sistema penitenciário, aumenta a responsabilidade com a preservação da saúde de todos.

Para isso, a Pasta editou a Resolução 43, de 24 de março de 2020, que explica que servidores com mais de 60 anos ou com comorbidades pré-existentes (diabetes, doenças respiratórias, hipertensão, cardiovasculares e afecções que deprimam o sistema imunológico), poderão cumprir o afastamento social do grupo de risco.

Outro ponto de interesse prevê que servidores com sintomas do novo Coronavírus não devem comparecer aos postos de trabalho, informando seus superiores e mantendo afastamento por 72 horas, que pode ser prorrogado por igual período, mediante auto declaração.

“Nosso maior objetivo é o de preservar a saúde de todos os nossos colaboradores, sem expor a segurança de nossas unidades. Sabemos da importância e do sacrifício de cada um no dia a dia prisional e adotamos uma série de medidas a fim de evitar o contágio. Contudo, atrelada à saúde de nossos servidores, temos também a consciência do dever da SAP em resguardar a nossa sociedade”, afirma o Secretário da Pasta, Coronel Nivaldo Cesar Restivo.

A Secretaria realiza ainda, a higienização e limpeza dos veículos e instalações, distribuindo álcool em gel para as 176 unidades prisionais e sedes administrativas, além da aquisição e distribuição de máscaras de proteção.

Neste aspecto, pode-se destacar que, além das máscaras adquiridas por meio de empresas externas, há ainda a compra das peças que estão sendo produzidas pelos presos, em oficinas da Fundação Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel (Funap).

A produção começou no final do mês de março e já começou a ser repassada à SAP e aos demais compradores a preço de custo.

Deve-se ressaltar também que a Coordenadoria de Saúde do Sistema Penitenciário, através do Grupo de Qualidade de Vida e Saúde do Servidor (GQVidass) está acompanhando de perto a distribuição dos equipamentos de proteção individual (EPIs) para os servidores.

O GQVidass trabalha ainda em diversas frentes, como na elaboração de cartazes, banners e folders educativos sobre o tema, produção de relatórios dos servidores que se enquadram na Resolução 43; cadastro, assistência e orientação nos casos suspeitos de Covid-19; participação na 22ª Campanha de Vacinação Contra a Influenza 2020, além do apoio psicológico aos servidores que precisam cuidar da saúde mental durante a pandemia.

Para Iracema Jansson, diretora no GQVidass  é muito importante este acompanhamento dos servidores no local de trabalho. “Precisamos monitorar os contactantes de casos suspeitos ou confirmados  por alguns dias, acolher estes servidores e esclarecer  dúvidas sobre os sintomas, as formas de contágio, entre outros. Nós precisamos tranquilizá-los, por isso, eles podem contar com as Centrais Regionais de Qualidade de Vida e Saúde do Servidor (CQVidass) e conosco, o pessoal do GQVidass ”, completou Iracema.