Nesse momento desafiador de isolamento social que estamos enfrentando, estudos revelam  aumento considerável nas taxas de estresse entre os brasileiros que passaram a trabalhar remotamente.

A pesquisa realizada pelo Centro de Inovação da Escola de Administração de empresas de São Paulo (FGV-EAESP) revelou que 56% das 464 pessoas entrevistadas enfrentam muita dificuldade ou dificuldade moderada ao tentar equilibrar as atividades pessoais e profissionais com o modelo Home Office.

O mesmo estudo demonstrou que para 45% dos participantes houve aumento da carga de trabalho, para 34% está difícil manter a motivação e ainda para 36% dos participantes está com dificuldade de manter a mesma produtividade de antes da pandemia.

Um método que tem auxiliado diversos colaboradores a se desestressarem de sua rotina agitada é a meditação.

Um estudo feito pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, mostrou que a prática da meditação traz diversos benefícios para a saúde de seus praticantes, como a redução do estresse e sintomas depressivos, controle da ansiedade, potencialização do autoconhecimento e da autoestima, desenvolvimento do foco nas atividades, redução da perda da memória, ampliação das emoções positivas assim como a melhora do sono.

É neste contexto de auxiliar os colaboradores que empresas podem levar ao ambiente corporativo a prática regular da meditação como ferramenta de treinamento mental e de desenvolvimento.

A inserção da prática da meditação dentro das corporações pode ser uma ferramenta valiosa para os diretores e gestores de Recursos Humanos que buscam manter seus colaboradores motivados, diminuindo a alta carga de estresse proveniente de uma rotina agitada, o que consequentemente, gera maior disposição e foco para a realização de todas as demandas do dia-a-dia.

Incluir a meditação na rotina dos colaboradores é uma atividade que tem sido adotada por grandes empresas, que incentivam seus colaboradores a formarem grupos de meditação e possibilitam a prática durante o horário de trabalho.

As sessões guiadas levam em média 20 minutos e podem ser realizadas durante o expediente ou após esse período.

As empresas que entendem a importância de o profissional estar bem emocionalmente e que tem líderes que incentivam o autoconhecimento dentro da empresa são as que possuem as melhores taxas de engajamento nos programas.