A pandemia da COVID-19 tem gerado uma busca incessante por soluções na área de ciência e tecnologia.

Neste contexto, o Instituto Militar de Engenharia (IME), Real Academia de Artilharia Fortificação e Desenho, fundado em 1792 constituiu um grupo de trabalho denominado “COVID-19 Assessoramento Científico IME” para identificar alternativas de enfrentamento que apoiem a sociedade na mitigação da pandemia.

O grupo COVID-19 Assessoramento Científico IME  é formado majoritariamente por integrantes do IME, contando ainda com a valorosa contribuição de profissionais do Centro Tecnológico do Exército (CTEx), da Diretoria do Serviço Geográfico (DSG), do Centro de Desenvolvimento de Sistemas (CDS), da Diretoria de Fabricação (DF), do Centro de Avaliações do Exército (CAEx) e Agência de Gestão e Inovação Tecnológica (AGITEC), e da Indústria de Material Bélico do Brasil (IMBEL), entre outras.

Na área de segurança do trabalho, o IME tem destacada atuação na produção de máscaras do tipo FaceShield por manufatura aditiva (impressoras 3D).

Uma equipe composta por alunos, ex-alunos e professores de Engenharia Eletrônica, Mecânica e de Computação do IME está mobilizada para produzir esse tipo de equipamento de proteção individual (EPI) hospitalar, em conformidade com os preceitos da Lei 6.514 de dezembro de 1977 Portaria Nr 3.214 de dezembro de 1978 – Norma Regulamentadora Nr 06 e demais documentos normativos do INMETRO, visando complementar os trabalhos dos órgãos de Saúde Pública.

Por tratar-se de Organização Militar (OM) e, portando, limitada pelo orçamento federal, o IME contou com o valoroso apoio da Associação de Ex-alunos do IME, AlumnIME, que angariou os recursos necessários para a aquisição de insumos e estabelecimento das cadeias produtivas necessárias.

Atualmente, a produção vem ocorrendo nas impressoras de manufatura aditiva existentes no Laboratório de Robótica e Inteligência Computacional do Instituto, além de outros elementos de impressão particulares de ex-alunos e professores.

O objetivo desta iniciativa é assegurar meios para fabricar e distribuir um kit contendo o material para a montagem das máscaras e manual de instruções simplificado, tudo em uma embalagem lacrada e higienizada.

A produção inicial, realizada ainda em março deste ano, limitou-se a um pequeno lote de teste (60 unidades) distribuído nos hospitais militares a título de teste. A produção tem se expandido exponencialmente, com o objetivo de possibilitar um atendimento parcial à demanda da rede de Saúde Pública.

Após o lote-teste, IME produziu e entregou cerca de 300 unidades desse EPI  hospitalar, distribuídos entre o Hospital Central do Exército (RJ), a Policlínica Militar da Praia Vermelha (RJ), Hospital Geral do Rio de Janeiro (RJ), Policlínica Militar Niterói (RJ), Hospital Salgado Filho (RJ), Hospital Municipal Parelheiros (SP), Hospital Municipal Miguel Couto (RJ), Odontoclínica Central do Exército (RJ), Centro Municipal de Saúde Dom Elder Câmara (RJ), Hospital Universitário UFC (Fortaleza) e Hospital Universitário Antônio Pedro – UFF (RJ).

Por fim, o recurso angariado pela Alumin IME, somado com recursos orçamentários, meios e pessoal do Instituto, juntamente com o apoio irrestrito dos escalões superiores no Exército Brasileiro possibilitou ao IME traçar uma meta de produção inicial da ordem de 900 unidades de máscaras FaceShield, demonstrando mais uma vez que esta escola secular, berço da engenharia brasileira é capaz de se mobilizar em prol da nação brasileira, produzindo importantes equipamentos de proteção individual.

Destaca-se que as ações de combate ao COVID-19 por parte do IME não comprometem as atividades acadêmicas, que estão ocorrendo na modalidade ‘ensino a distância’ (EaD), por meio de salas de aula virtuais, cumprindo plenamente as obrigações educacionais para com os discentes.