Estudos recentes indicam que a cada 1000 mulheres europeias, somente 0,6% são licenciadas em áreas relacionadas às Tecnologias de Informação e Comunicação; uma reflexão sobre o impacto da revolução digital, mostra como o impulsionamento dessas áreas pode reduzir a desigualdade de gênero e representar uma vantagem competitiva, acelerando o processo de crescimento da economia brasileira.



Esta matéria é apenas para assinantes


É novo no site?

Assine 100% Gratuito!