Os motoristas de caminhões estão expostos frequentemente a diferentes tipos de ruído, o que pode ser muito prejudicial à sua audição. Os efeitos podem ser sentidos a médio e/ ou longo prazo, como o risco de perda auditiva.

Para diversas profissões que estão sujeitas aos riscos induzidos por ruídos em suas atividades, a utilização obrigatória de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) garante a prática da profissão de maneira mais segura. No caso dos motoristas, os protetores auriculares não são permitidos, já que a atenção necessária ao volante envolve acompanhar os sons do trânsito. Porém, o motorista pode e deve ficar atento aos riscos existentes para preservar sua saúde auditiva.

O barulho do motor somado ao trânsito, rádio, buzina, vento e etc, compõem uma gama de ruídos que podem chegar acima do nível considerado saudável para os ouvidos, especialmente pelo tempo de exposição, que acontece muitas vezes, todos os dias.

Vale lembrar que a legislação trabalhista estabelece limites de tolerância para ruídos contínuos ou intermitentes, determinando a máxima exposição diária possível. Para o tempo de 8 horas (Jornada máxima diária permitida para o caminhoneiro) o nível máximo permitido por lei sem proteção é de 85 decibéis.

Alguns estudos relatam que para os motoristas de caminhão a união de todos os sons a que estão expostos ultrapassa frequentemente essa marca. Quando pensados de forma progressiva (ou seja, ao longo dos anos em que se pratica a profissão), identificamos uma séria risca à chamada Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR), refletida em diferentes sintomas.

A perda pode acontecer de forma lenta e inicialmente imperceptível, mas passa a ser notada por meio de sensação de ouvido tapado, zumbido constante ou transitório, irritação com os sons e até mesmo, a dificuldade de compreensão das falas (a queixa é de que se escuta a outra pessoa mas há dificuldade para entender o que está sendo dito). Os danos, se não forem administrados de início, podem ser irreversíveis.

Já que não dá pra usar os EPI’s, o que fazer para manter a saúde auditiva do caminhoneiro?

  • Minimize os ruídos internos
  • Para diminuir os ruídos no interior do veículo, a dica principal é maneirar no uso do rádio. O controle diz respeito à frequência e ao volume, o ideal é escutar de vez em quando, e com volume baixo.
  • Mantenha janelas fechadas
  • Dirigir com as janelas fechadas, sempre que possível. Isso porque, como já vimos, a constância dos sons é um dos motivos pelos quais a perda auditiva acontece; quanto mais você conseguir reduzir essa frequência sonora, melhor para os seus ouvidos.
  • Confira a manutenção do veículo. Isso garantirá uma direção mais segura e defensiva e também cuidará da sua saúde auditiva. A falta de manutenção também pode ocasionar falhas e mau funcionamento de peças e equipamentos, que frequentemente se refletem em aumento de barulhos.
  • Pratique repouso acústico. Indica-se também que profissionais excessivamente expostos aos ruídos no dia a dia de trabalho procurem realizar o chamado repouso acústico quando não estiverem no exercício da atividade. Funciona como uma espécie de “descanso aos ouvidos”. Aproveite os momentos de folga no trabalho para “descansar” a sua audição. O cumprimento da “Lei do Descanso”também é uma maneira de manter a exposição aos ruídos controlada, dentro dos limites saudáveis indicados.
  • Faça exames auditivos periodicamente
  • Evite se automedicar e nunca faça uso de substâncias ilícitas

A saúde auditiva é um bem precioso e precisamos cuidar bem dela, não só para exercer nossa profissão, mas também para viver bem e com qualidade de vida!