Não há como negar que o exercício da liderança é próprio de cada indivíduo e que gerir pessoas é muito mais do que apenas liderar. Estar conectado com pessoas diariamente, controlando processos, prazos, metas, clima organizacional, exige muito. Isso é fato. Por isso, entender como os perfis comportamentais do seu time funcionam é ideal. Afinal, você saberá como se conectar com cada colaborador de forma assertiva, gerando assim, muito mais resultados no seu time. A alta performance pode ser – infinitamente mais real – na sua liderança e nos seus resultados.

Conforme aponta a teoria de DISC, existem 04 perfis comportamentais que regem a performance humana, são eles: Dominante, Influente, Estável e Conforme. “Cada um desses perfis conta com um estilo de liderança próprio.”

Líderes Executivos

Característico do perfil Dominante, os líderes executivos possuem facilidade para comandar pessoas com autoconfiança e posicionamento firme. São determinados, focados nos objetivos a serem cumpridos e, por isso, possuem um senso de urgência aguçado, costumando imprimir um ritmo mais acelerado para si e para sua equipe.

São naturalmente ousados e dispostos a correr riscos, fazendo análises rápidas, com critérios racionais e pragmáticos. Os dominantes com estilo de liderança executivo gostam de inovações e lidam muito facilmente com mudanças e situações de pressão.

São exigentes, questionadores e possuem um senso crítico extremamente apurado.

Apaixonados por prazos, resultados e metas, os dominantes possuem alguns comportamentos que podem ser melhorados, no intuito de elevar, ainda mais, a performance na liderança.

Eles costumam ser mais enérgicos e podem agir com agressividade, por exemplo. Podem também intimidar para alcançar objetivos, podendo imprimir um ritmo bastante acelerado e agir com impaciência, impulsividade e nervosismo com os colaboradores. Eles são ambiciosos e podem agir com excesso de competitividade, dado o seu amor por metas e sucesso nos resultados.

Quando acompanhado do descuido em relação aos seus limites físicos e psicológicos, os líderes dominantes podem levar ao estresse e influenciar negativamente o grupo. Eles ainda podem agir com certa intolerância e insensibilidade às necessidades e sentimentos alheios, o que pode desmotivar a equipe.

 

Líderes Motivadores

São líderes que gostam de conexões.

São abertos, descontraídos, dinâmicos, motivadores e que envolvem pelo diálogo. Característico do perfil influente, os líderes motivadores buscam melhorar os resultados da equipe, valorizando o diálogo como forma de aproximar o grupo e solucionar possíveis ruídos nas relações interpessoais.

Encarregam-se de deixar o ambiente o mais positivo possível e de promover atividades em grupo para agregar e aproximar os membros da equipe. São extrovertidos, ótimos argumentadores e possuem facilidade para convencer e influenciar seus liderados.

Em suas decisões, costumam levar em consideração os aspectos emocionais e sentimentais dos liderados. São bastante intuitivos e possuem extrema facilidade para gerenciar possíveis situações imprevistas e lidar com mudanças não planejadas.

Como é natural de cada perfil, pois nenhum é tido como perfeito, os influentes possuem alguns comportamentos que podem ser passíveis de melhora. Por serem descontraídos e bem-humorados, podem exagerar nas brincadeiras e ter atitudes inconvenientes.

Tendem a exagerar no diálogo e passar a imagem de um líder que conversa muito e age pouco. Eles podem ser prolixos e apresentar dificuldades para dar ordens claras, deixando os liderados um pouco confusos e sem orientação.

Não gostam muito de rotina e, por isso, podem perder, por vezes, a paciência em situações que não são do seu interesse. Por serem muito ligados à conexão com pessoas, os influentes podem exagerar na emotividade e ter atitudes incoerentes ou pouco racionais.

 

Liderança Metódica

Complementando o DISC, temos ainda o estilo de liderança metódico, característico do perfil estável. Esse estilo de liderança é aberto a opiniões dos liderados e tomam suas decisões de forma mais compartilhada.

São prestativos e tolerantes com falhas de seus liderados. Possuem mais paciência para re-orientar e acompanhar a execução das tarefas e evitam que eles se sintam com receio de solicitar esclarecimentos ou pedir ajuda, por exemplo. Possuem facilidade para aconselhar e passar a sua experiência e seus conhecimentos com paciência e dedicação.

Quando enfrentam desafios ou adversidades, costumam reagir com mais equilíbrio, sendo perseverantes. Gostam de fazer planejamentos com orientações claras e de construir métodos que contribuam para o bom direcionamento da equipe, evitando dúvidas e erros processuais, pois, em sua natureza, prezam pela segurança.

Assim como todos os seres humanos são passíveis de melhora, os estáveis podem preocupar-se de forma exagerada com opiniões alheias, faltando iniciativa própria como tomada de decisões rápidas e individuais.

São mais introspectivos e contidos, principalmente em situações de conflito, ficando, assim, reprimidos em alguns momentos e, principalmente, para expressar pontos de vistas. São mais conservadores e menos ambiciosos, por isso, podem acomodar-se com a situação atual e não estipular novos desafios para si e para a equipe.

 

Liderança Sistemática

Já os conformes, com natureza de liderança sistemática, são auto-disciplinados, sérios e se concentram nas tarefas e atividades relacionadas ao trabalho. Costumam criar ambientes mais formais, com a equipe concentrada em suas tarefas e poucos momentos de descontração. São mais racionais, cautelosos e preferem tomar decisões baseadas em fatos concretos. Alguns dos possíveis pontos a serem trabalhados nos conformes são o fato de, por serem muito sérios e retraídos podem passar a imagem de um líder mais distante e frio com seus liderados. São perfeccionistas e tendem a serem mais sistemáticos e presos às regras, regulamentos, métodos. Desse modo, acabam impondo um ritmo mais lento para si e sua equipe.

Porém, diante de tudo que foi dito, o importante é salientar que NÃO existe estilo de liderança certou ou errado. Todos eles são passíveis de adaptação e são alocados onde as funções exigirem características próprias de cada perfil.