O momento de pandemia pelo qual estamos passando faz com que sentimentos como tristeza, raiva e medo muito fortes façam parte do nosso cotidiano. Em longo prazo, estes sentimentos criam um verdadeiro caos em nosso sistema hormonal e imune. Essa cascata desencadeada pelo estresse, mais conhecida como “resposta de fuga ou luta” é responsável, se não debelada, pela diminuição da nossa resistência natural interna, abrindo as portas do nosso organismo para, não só doenças infecciosas, mas também para a piora de doenças crônicas e até mesmo para o aparecimento de novos problemas de saúde.

Para evitar isso, é preciso utilizar ferramentas que possam causar efeitos positivos no nosso corpo. Uma delas é a resiliência que, quando treinada, faz com que a gente se adapte à situação pela qual estamos passando. A resiliência permite ao ser humano crescer em meio à adversidade, encontrando a saída e alcançando maior qualidade de vida em meio ao caos. Na saúde, já é comprovado que pacientes com o mesmo problema apresentam respostas diferentes: enquanto o paciente que ignora ou não acredita na própria capacidade de gerar resiliência se curva aos efeitos da doença, o paciente que conhece e aplica em si a resiliência reage com notável capacidade de recuperação.

Outra dica é o exercício da gratidão que, segundo pesquisas de Neurociências, conecta áreas cerebrais que melhoram nossos sistemas hormonal e imune, nos levando a ver a vida sob outro ângulo, com uma perspectiva nova diante de tudo pelo que estamos passando. O exercício da gratidão pode ajudar na carreira profissional, na saúde e nos anseios pessoais, servindo como fortaleza para o ser humano e ajudando, também, na prevenção de doenças e no gerenciamento do estresse.

Neste momento de pandemia como o que estamos passando, para manter a saúde em dia, inclusive a imunidade alta, o conselho é olhar para o seu interior, ou seja, buscar o autoconhecimento. O caminho para se autoconhecer começa com dois passos. O primeiro é assumir seus erros e encarar seus fantasmas, procurando caminhos e pessoas que podem ajudar. O segundo é questionar seus comportamentos no dia a dia em prol dos seus semelhantes, da sua carreira profissional e da sua felicidade, principalmente, sempre usando uma perspectiva mais ampla. Às vezes, a vida precisa “quebrar nossos dois pés” para que a gente caminhe de maneira mais evolutiva e realize nosso propósito de vida depois de curar nossas marcas interiores, provenientes de escolhas erradas.

Quem cuida precisa de cuidado e quem faz o bem precisa e merece estar bem. Quando nos tornamos disponíveis e flexíveis às circunstâncias da vida, sejam elas agradáveis ou não, elas se tornam importantes ferramentas para percebermos melhor nossas reações e, assim, nos conhecermos melhor e adquirirmos mais perseverança, determinação, acolhimento, aceitação, decisão, senso crítico e muita vontade, além de saúde.

Neste processo de autoconhecimento, descobrimos que agradecemos pouco – e, mais que isso, descobrimos que agradecer mais pode nos ajudar. Agradeça a oportunidade de viver e ser útil de alguma forma às pessoas. Seja grato aos seus pais e familiares. Seja grato ao seu companheiro ou companheira, aos seus filhos e amigos. Aprenda a agradecer e veja a verdadeira transformação que este sentimento pode fazer pela sua vida!