Em 2020, a concentração média de dióxido de carbono (CO2) na superfície da Terra foi de 412,5 ppm (partes por milhão), de acordo com a Agência de Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (Noaa, na sigla em inglês). O gás carbônico é um dos vilões do efeito estufa – junto com o metano (CH4) e o óxido nitroso (N2O) – e a emissão na atmosfera vem aumentando ao longo dos anos.

Durante a Cúpula do Clima, em abril deste ano, o presidente Bolsonaro prometeu a neutralidade de carbono até 2050, mesma meta estabelecida pelos 66 Estados para Nações Unidas, em 2019.

A descarbonização foi um dos temas debatidos por especialistas em painéis da 31ª edição do CIAB, evento promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) em junho deste ano. Para frear o avanço, que colabora com o aquecimento global, as pessoas e empresas em geral mudam hábitos com finalidade em zerar a emissão de carbono.

Engajamento

A fintech ecológica Uzzipay auxilia os clientes em suas atividades financeiras e, também contribui para conscientizar em relação ao meio ambiente, com a doação de mudas de espécies nativas da flora amazônica e campanhas educativas de combate às queimadas no estado de Rondônia. O relatório “Análise das Emissões Brasileiras de Gases de Efeito Estufa”, divulgado em março deste ano, apontou que 259 milhões de toneladas de CO2 foram lançadas em 2019 na atmosfera por conta de queimadas na Amazônia.

Uma área de reserva legal da Amazônia em Porto Velho (RO) é mantida pela UzziPay. A cada abertura de conta e utilização dos recursos, como transferência e pagamentos, mais árvores da área de 700 hectares são preservadas, segundo a fintech. O monitoramento do local é feito por solo, por drones ou voos tripulados sobre a região e por imagens de satélite.

“É muito importante apoiar e financiar modelos de preservação ambiental não poluentes, que compensam a emissão de carbono e permitem o desenvolvimento sustentável das comunidades”, ressalta Isabelle Kwintner, diretora sênior de estratégia da UzziPay. “A energia elétrica é também responsável pela emissão de gases de efeito estufa. Pensando nisso, temos uma parceria com a Cooperativa de Energia Solar, que fornece energia fotovoltaica, e devolvemos aos nossos correntistas parte do dinheiro da fatura paga, como uma forma de estimular o uso de energia limpa”, complementa.

Em casa

Existem algumas atitudes simples que podem ser tomadas para neutralizar o carbono e contribuir com o meio ambiente:

  • Economizar energia elétrica. O Brasil vive a pior seca dos últimos anos e os reservatórios apresentam baixos níveis. Consequentemente, as usinas termelétricas são acionadas e elas emitem gases na atmosfera.
  • Evite utilizar carros particulares. Opte por transportes públicos, caronas solidárias, bicicletas e caminhadas. Isso porque os automóveis ainda são os que mais poluem. Caso seja impossível de evitar, prefira usar o etanol ou biocombustível.
  • Não desperdice alimentos. Prepare o que for realmente ser consumido, pois gases são liberados durante o processo de decomposição dos alimentos.
  • Recicle e opte por embalagens que podem ser reutilizadas. Boa parte dos produtos envolvem lançamento de gases poluentes, desde a produção e até mesmo no transporte.