Na palavra ergonomia, “ergo” significa “trabalho” e “nomos” designa leis, regras, normas.

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a ergonomia constitui forma de abordagem que utiliza o recurso das ciências biológicas humanas, concomitantemente com emprego de técnicas de engenharia, visando obtenção de harmonia entre o homem e o trabalho por ele desempenhado.

Nas situações em que ocorre análise das condições de trabalho em que atua o homem, através da ergonomia agrega-se abordagens voltadas para os campos da Psicologia e Fisiologia.

A finalidade proposta é a de averiguar as reais características de saúde e segurança presentes, sendo possível subsequentemente tecer orientações acerca de formas para aperfeiçoamento das condições de trabalho.

A principal finalidade almejada com o emprego da ergonomia é a de propiciar ao homem condições satisfatórias para que possa desempenhar seu trabalho suficientemente, visando obter melhor produtividade por intermédio concomitante do estabelecimento de um local de trabalho seguro.

A prevenção de riscos é a meta da ergonomia em busca de aprimoramento do trabalho. Muitas vezes a averiguação dos apontamentos para prevenir riscos nas atividades trabalhistas, levando em consideração os quesitos solicitados quanto a obtenção de qualidade e produtividade pode englobar características satisfatórias de saúde e segurança no trabalho.

O objetivo do presente artigo foi averiguar como procede o papel da ergonomia no desempenho das atividades laborais e como a prática da ergonomia pode influir na performance apresentada pela saúde dos trabalhadores.

Revisão das Normas

Em nosso país dispõem-se de 36 Normas Regulamentadoras (NR) que constituem parâmetros empregados para avaliar como procedem as relações trabalhistas. Nelas acham-se explicitadas as obrigações e os deveres dos contratadores, relacionadas aos trabalhadores e ao ambiente laboral.

A NR de número 17 trata dos assuntos pertinentes a ergonomia. Preconiza-se através do recurso da utilização da ergonomia, que o trabalho venha a se amoldar ou se adaptar ao homem.

Dessa maneira, o ambiente laboral pode-se tornar humanizado e pode-se produzir um ambiente laboral que promova estímulo para os trabalhadores quando do desempenho das suas tarefas.

Almeja-se evitar a convivência com baixa produtividade e problemas de saúde no trabalhador, impedindo que problemas laborais instalem-se, para tal emprega-se a ergonomia.

Objetiva-se com ela promover a humanização no trabalho com a finalidade de proporcionar ao homem melhores condições de trabalho e maior produtividade laboral. Existem determinados riscos ergonômicos que são capazes de ocasionar doenças aos trabalhadores.

Citam-se como riscos ergonômicos: estresse; jornada de trabalho noturna; situações que ocasionem esforço físico ao trabalhador; postura incorreta ou inadequada e período extenso de trabalho, entre outros.

A ação desses riscos pode levar a queda na produtividade laboral e a instituição de problemas intrínsecos à sua saúde e segurança. Dentre esses riscos podem ocorrer lesões por esforços repetitivos (LER/DORT); hipertensão arterial; distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho; diabetes; taquicardia; ansiedade e problemas no sono, entre outros.

Medidas Adotadas

A ergonomia necessita estar inserida nas medidas adotadas voltadas para as políticas públicas relacionadas com a Saúde no Trabalho. Nas carreiras de saúde deveria haver sua incorporação para aprofundamento acerca da temática, conhecimento e conscientização da sua importância.

Problemas laborais comumente encontrados como a ocorrência de absenteísmo, baixa produtividade no trabalho e pouca qualidade de vida no trabalho podem ser superados com o recurso da utilização da ergonomia, o que é favorável para os empregadores e os trabalhadores.

Os acidentes de trabalho e as doenças ocupacionais devem ser evitadas, concomitantemente deve-se zelar pela saúde mental e física dos trabalhadores. Para a efetivação desses cuidados deve-se lançar mão do uso dos recursos da ergonomia e da saúde e segurança no ambiente laboral.

Almeja-se propiciar melhor correlação entre o homem e o ambiente laboral com o emprego da técnica da ergonomia, visando a obtenção de melhores condições de segurança.

Prevenção

Uma abordagem ergonômica preventiva voltada para a prática das atividades laborais permite a minimização da ocorrência de riscos e agravantes para a saúde dos trabalhadores relacionados com o desempenho do trabalho.

Muitos benefícios podem ser propiciados com o emprego da ergonomia no trabalho, tanto para os trabalhadores como para os empregadores. Essa prática permite melhor racionalização de recursos.