A vida atribulada e confusa em meio a sentimentos, dúvidas, medos, fobias, culpas e fracassos pode ser emoldurada por sensações prazerosas do ponto de vista psicológico, quando o indivíduo alcança o sucesso pessoal ou profissional e quando conquista um objetivo há tempos perseguido e almejado.

É fato que tudo que é desejado e não concretizado, pode gerar desânimo e frustração – sentimentos comuns nos dias atuais por aqueles que de alguma maneira estão lutando por algo, através da idealização de uma meta pessoal.

O tempo corre e cobra na mesma proporção. E essa cobrança nem sempre é bem administrada pelo ser humano. A impaciência traz questionamentos, dúvidas, crises existenciais e aflições com o futuro, além de inseguranças, medo e busca pela assertividade. Sentimentos, que se não forem bem governados, podem alimentar ansiedades e levar até mesmo a depressão. Ao exigir demais de si mesmo, sem o mínimo equilíbrio psicológico, podemos perder o foco e não enxergar o caminho efetivo do sucesso.

Porém, quando temos a clara consciência de que o sol brilha para todos e que conquistar os nossos objetivos está ligado à intensidade e a resiliência depositada por cada um, entendemos que é possível produzir e colher mais resultados positivos do que negativos.

É importante para nossa saúde mental que nos sintamos bem em relação ao futuro. Isso agrega retornos favoráveis para nossa felicidade e autoestima. Todos nós precisamos cultivar e desenhar objetivos para nos motivarmos, mas estes precisam ser desafiadores o bastante para nos mantermos animados. E precisam ser alcançáveis. O impossível somente criará estresse. Os objetivos realistas servem para dar direção às nossas vidas e trazem o sentimento de realização e satisfação quando os atingimos.

Transformamos nossos valores e sonhos em realidade – e isso nada mais é do que objetivar. É através do pensamento que a sensação de felicidade pode acontecer. É a satisfação de conseguirmos atingir o sucesso do que buscamos através de planejamento e da perseverança. Ao fazer planos e desejar algo, estamos contribuindo para alimentar a sensação de bem-estar.

Criar objetivos e persegui-los gera propósito e significado, além de proporcionar satisfação quando realizamos aquilo que nos propusemos, ou quando vamos alcançando as metas menores dentro das maiores. Isso fortalece nossa confiança e crença sobre o que poderemos fazer no futuro, aumenta a confiabilidade em nós mesmos e faz com que hormônios do prazer inundem nosso corpo e facilitem a nossa própria percepção do mundo e das possibilidades de conquistas que podemos perseguir.

Pessoas otimistas tendem a serem mais felizes, saudáveis e lidam melhor com situações difíceis. Apesar de termos também uma tendência natural para o otimismo ou pessimismo, há coisas que podemos fazer para alcançarmos mais perspectivas otimistas sem perder o contato com a realidade.

E o que é o otimismo? Otimismo é acreditar que as coisas provavelmente serão melhores em vez de piores. Assim, não é surpresa nenhuma que nosso nível de otimismo influencia o quanto somos persistentes em atingir objetivos – e como reagimos a contratempos.

Apesar de existirem evidências sobre os benefícios do pessimismo (por exemplo, ao avaliar riscos para nossa saúde), pesquisas mostram que o otimismo é muito melhor para nossa saúde e felicidade — elas também indicam que em situações difíceis (como começar a universidade, envelhecer ou lidar com problemas médicos), otimistas experimentam menos sofrimento e maior nível de bem-estar do que os pessimistas.

Mas é importante manter os pés no chão. Uma visão exageradamente otimista pode atrapalhar. Ser otimista não significa cegamente ignorar os fatos negativos. Ter expectativas irreais em elevação leva à decepção, à sensação de fracasso e a uma visão mais pessimista do futuro. Quando pensamos sobre o futuro, de certa forma estamos fazendo suposições — portanto, precisamos basear nossos objetivos e julgamentos no pouco que sabemos agora. Ter uma visão realista, mas com esperança sobre o futuro, parece aumentar a possibilidade de que tudo ficará bem no final.

Portanto, nossa saúde mental agradece quando desejamos alcançar algo. Quando nos desafiamos intimamente, de forma a gerar esforço nesta conquista. O mais importante é desejar, criar, buscar e acreditar que somos capazes. E quando não der certo, não perder o controle.

Não deixar de sonhar. Sonhar ajuda a alimentar e fomentar sensações prazerosas em nosso organismo e promovem até uma melhora da saúde psíquica.