Após dias em confinamento as empresas começam a voltar às operações nos escritórios depois da autorização das prefeituras das suas cidades.

As empresas estão se adaptando às novas regras e procurando tomar todas as medidas necessárias para evitar que seus funcionários sejam expostos ao Covid-19.

As mudanças vão desde novos horários de trabalho, sinalizações para indicar a distância correta entre as pessoas, vídeos informativos, novos layouts, disponibilidade de álcool gel em vários locais, e muito mais.

Outras empresas, no entanto, ainda não se sentem confortáveis para voltar aos escritórios e já informaram que irão manter os seus colaboradores em home office.

Pesquisa Gestão de Pessoas na Crise de Covid-19, divulgada pela Fundação Instituto de Administração (FIA), mostra que 94% das empresas brasileiras estão satisfeitas com os resultados obtidos com o home office, mas somente 70% pretende manter o sistema ou reduzi-lo para 25% dos funcionários no pós-pandemia.

A pesquisa foi realizada com 139 empresas brasileiras de grande, médio e pequeno porte.

O fato é que, seja qual for a decisão da empresa, a boa comunicação junto aos colaboradores é fundamental para manter a harmonia, o bom funcionamento das operações e para que os resultados esperados continuem sendo alcançados.

Para a boa fluidez da informação entra em cena, mais uma vez, o RH. No entanto, vale ressaltar que além de manter o elo entre a empresa e o colaborador, o RH ainda tem diversas atribuições burocráticas e repetitivas que acabam tomando muito tempo do seu dia.

Atividades essas, que muitas vezes poderiam ser realizadas por softwares eficientes e capazes de automatizar processos como admissão e gestão de férias, por exemplo, liberando, assim, esses colaboradores para atividades mais estratégicas, como cuidar dos seus colaboradores.

Mas, para que isso aconteça, a empresa precisa pensar ou já estar vivendo o processo de transformação digital.

Por exemplo, a pandemia, que levou muitas empresas a adotarem o home office, também contribuiu para que essas mesmas empresas começassem a realizar contratações via online e percebessem o quanto esse modelo é eficiente, seguro e economiza tempo.

É lógico que o processo de transformação digital ainda tem um longo caminho para ser percorrido, muitas empresas ainda estão longe de pensar em inovações disruptivas, mas o fato é que quanto mais a companhia demorar para pensar e entrar nesta nova era, mais propensa a perder oportunidades para o seu concorrente ela estará.

A pandemia trouxe para a mesa a necessidade de se focar em atividades que realmente fazem a diferença e agregam valor para o negócio. O RH está se mostrando um agente ainda mais relevante para este momento.