Por muitos anos, encarar a cadeira do dentista era quase um ato de fé. De boca aberta, diante do profissional, o paciente sequer tinha condições ou argumentos para questionar os procedimentos indicados.

Hoje, graças à tecnologia, ao mesmo tempo em que se submete ao tratamento dentário, ele pode acompanhar, ao vivo e a cores, tudo o que acontece em sua boca.

O avanço e a evolução da tecnologia nos mais diversos segmentos já é uma realidade, inclusive em áreas como a saúde e o bem estar.

Segundo o relatório produzido pela Euromonitor International – 10 tendências de consumo para 2020, isto acontece porque o consumidor procura as vantagens que a modernização pode trazer para a vida cotidiana.

A pesquisa aponta que as pessoas estão começando a aceitar as “novidades mais radicais” como o uso de robôs para realizar tarefas cotidianas e que usualmente eram feitas por humanos. Isso ocorre inclusive dentro da área da saúde.

A era digital também é uma tendência global irreversível. A inserção da tecnologia dentro da odontologia, por exemplo, está sendo desenvolvida rapidamente, devido principalmente às adaptações exigidas durante a pandemia de Covid-19.

Protocolos de segurança e distanciamento também são responsáveis por esse avanço. Uma grande novidade são os softwares que possibilitam o monitoramento de tratamentos e acompanhamento do paciente remotamente, evitando deslocamentos desnecessários ao consultório e agregando valor ao tratamento.

Além do conforto, durante a pandemia, o método é indicado para pacientes de risco e também é relevante para incentivar o isolamento social. A tecnologia demanda também o desenvolvimento de novas habilidades no cirurgião-dentista.

A parte artística – essencial – permanece. Porém, além delas são agregadas habilidades digitais para otimizar o processo. Novos materiais são aprimorados gerando maior segurança e rapidez na confecção de trabalhos.

Em julho de 2020 a Universidade Federal de Pelotas (UFPel) realizou uma pesquisa sobre o impacto do Covid-19 nos tratamentos ortodônticos. Mais de 3 mil dentistas foram entrevistados e o levantamento apontou que houve uma redução de 62% das consultas na rede privada.

A inserção da tecnologia deve ser usada para aumentar a segurança e o conforto dos pacientes. Clínicas e consultórios estão adquirindo equipamentos de imagem avançados que permitem diagnosticar com melhor precisão os problemas bucais, assim como softwares que norteiam o planejamento odontológico nas mais diversas áreas.

Isso agrega previsibilidade e confiança ao profissional e dá segurança ao paciente. Além dos escâneres intraorais que possibilitam gerar imagens com cores reais e de maneira imediata, permitindo que o paciente visualize previamente todas as etapas do tratamento e o informem de maneira adequada sobre o processo.

Protocolos de moldagem, planejamentos em 3D, impressão digital, compartilhamento de imagens entre profissionais envolvidos, integrando o fluxo de trabalho multidisciplinar, hoje são uma realidade na rotina odontológica.

Protocolos mais eficientes e amigáveis estão sendo disponibilizados à comunidade odontológica, proporcionando meios de trabalho cada vez mais inteligentes. Com o incentivo da comunicação facilitada com o paciente é perceptível a melhoria na disciplina e nos cuidados que auxiliam no sucesso do tratamento.

Todas essas novidades exigem novas regulamentações e as entidades de classe, atentas para este fato estão sempre à frente do processo garantindo a qualidade e a ética profissional durante todo o atendimento.

A essência do juramento do cirurgião-dentista deve sempre ser preservada: exercer a profissão com dignidade e consciência; ter a saúde do paciente como a maior preocupação; respeitar os segredos confiados; manter, por todos os meios, a honra e as nobres tradições da odontologia.

Que esta nova era, aprimorada a cada dia, proporcione maiores recursos ao cirurgião-dentista, oferecendo o melhor serviço possível ao seu paciente, de maneira segura e confiável.