Diariamente temos motivos para nos desequilibrar, ficar com raiva, ter emoções negativas devido a uma série de problemas, como: familiares, financeiros, relacionamento, violência, segurança, política, doenças, entre outros (dava para fazer um post só citando os problemas).

Os problemas existem; como eu vou fazer a vivência desse problema é uma decisão. Diferente dos animais, humanos têm decisão racional e livre arbítrio diante das coisas.

O equilíbrio emocional é a capacidade de manter o controle mental em meio aos desafios e mudanças que podem acontecer em todas as áreas da vida, ou seja, o que é responsável por ajudar você a manter o foco em seus desejos e encarar os problemas do cotidiano, de forma madura e consciente.

Boa parte do sucesso é referente ao somatório de nossas escolhas, e assim que você conquistar os objetivos e metas que deseja para a vida. Preservar a calma, o equilíbrio diante das adversidades, imprevistos, ajuda a ter clareza de pensamento quando é preciso tomar decisões.

Deixo com você algumas dicas importantes para desenvolver o controle emocional, que deve ser trabalhado todos os dias; afinal, ninguém nasce com este talento. Força de vontade e perseverança para conseguir dominar a mente.

Respire e não pire

Para poder controlar como você se sente e não permitir que se leve pela situação, você precisa deixar sua razão funcionar e analisar a situação antes de tomar uma decisão. Não ative seu lado emocional, oxigene seu corpo.

Sente-se confortavelmente, inspire 4 vezes e expire 4 vezes, enchendo os pulmões de ar a cada vez, segure por 4 segundos e depois expire.

Dê nome às emoções

Quando você tiver sentimentos fortes, tente nomeá-los e pergunte a si mesmo quando você costuma senti-los. Depois, busque como diminuir a intensidade das emoções não desejadas.

Alguns nomes comuns: Alegria, Raiva, Paz, Insegurança, Orgulho, Revolta, Interesse, Desgosto, Esperança, Medo, Inspiração, Tristeza, Contentamento, Aversão, Gratidão, Vergonha, Amor, Ciúme, Satisfação, Culpa, Calma, Tédio, Encantamento, Nojo.

Saia, antes que exploda!

Às vezes, somente respirar não resolve o problema, principalmente quando se está com raiva; o melhor é sair, beber água, pedir licença e deixar o ambiente. Tem momentos que espairecer é a melhor decisão.

A raiva é uma das emoções mais incontroláveis, então, é melhor interromper a reunião, a ligação ou a conversa do que prolongar e acabar tomando uma atitude de que se arrependa.

Escolha pessoas positivas

Não esqueça, você é a média das pessoas com quem mais convive. Então, com quem você costuma almoçar? Com quem você mais conversa? A quem você mais envia mensagens de WhatsApp?

Prefira estar ao redor de pessoas que têm o hábito de serem positivas; evite as negativas, depreciativas e intempestivas.

Liste seus amigos e as pessoas com quem convive diariamente; sublinhe as que te fazem bem. Faça um risco nas pessoas que fazem o inverso. Agora, pense em quem você quer mais (ou menos) perto de você.

Isso é uma verdade?

As situações que estressam ou chateiam você, realmente são verdadeiras? Muitas vezes caímos na besteira de tomar como verdade coisas que não são verídicas ou nem têm a ver conosco.

Por exemplo, aquela pessoa que está falando baixinho, mas não necessariamente está falando mal de você, ou aquela que riu e provavelmente não foi de você, ou ficar se martirizando pelo que o outro está pensando de você e talvez nunca tenha pensando em você da forma que imagina.

Então, pergunte para si: ‘tenho provas incontestáveis de que isso é real? Isso precisa arruinar o meu dia?’

Conhecimento é tudo!

Como dizia Sócrates, conhece-te a ti mesmo e conhecerá o universo e os deuses.

Autoconhecimento nunca será demais, além de aumentar a possibilidade de você ser mais assertivo nas decisões e escolhas diárias que faz.

Busque se conhecer mais, descubra suas habilidades, avalie quais são seus pontos de melhoria e claro, faça um plano de ação para você.