Recentemente, a população brasileira tomou conhecimento, por meio das mídias digitais, do acidente que uma empresária do Estado de Mato Grosso sofreu quando se submeteu a uma sessão de acupuntura. Pela gravidade do acidente ela teve que passar por um procedimento de emergência em um hospital local e hoje passa bem.

Como muitos brasileiros apoiam a retomada do convívio social e profissional, o exemplo acima mostra o que a falta de perícia, habilidade técnica ou atenção profissional podem provocar caso uma terapia complementar não seja realizada por um profissional qualificado.

O objetivo desse texto é fornecer informações para que você escolha com segurança um terapeuta qualificado nessa área. Para ser mais didático dividi o material em quatro temas:

  • ​acupuntura
  • ​legislação
  • ​benefícios
  • ​indicações e escolha

 

Acupuntura: uma prática milenar

A acupuntura é uma prática milenar com origem na China. De acordo com a medicina tradicional chinesa, a técnica procura equilibrar o fluxo de energia que flui por meridianos invisíveis localizados por toda extensão do corpo humano. A prática da terapia consiste em estimular esses ‘AcuPontos’ no percurso dos meridianos com a aplicação de agulhas específicas. Entre os principais objetivos, estão o alívio da dor e a promoção da saúde.

Os efeitos colaterais existem. Entre os mais comuns, estão dor breve ou hematomas de pequeno diâmetro nos pontos onde as agulhas foram aplicadas. Como hoje o ‘padrão ouro’ da prática é a utilização de agulhas descartáveis, o risco de infecção praticamente inexiste.

Sob essa ótica, os riscos da acupuntura são baixos (se você utilizar um profissional certificado e competente).

Legislação em andamento

Como em vários países do mundo, não é necessário ser um médico para praticar acupuntura. Mas, sempre que um fato (como o ocorrido com a empresária) é divulgado, as primeiras perguntas são relacionadas à formação do terapeuta, certificações etc.

Essa é uma das principais questões que a prática da acupuntura enfrenta no Brasil.

A aprovação de uma legislação específica para o setor vem sendo discutida há mais de 20 anos e o projeto de lei que estabelece as regras federais ainda não foi aprovado. Isso dificulta, não só a escolha de um bom profissional, como a aplicação de uma sanção, caso seja comprovada a falta de responsabilidade do terapeuta.

Enquanto o setor aguarda a aprovação, o Conselho Nacional de Saúde procura fazer sua parte. O CNS esclareceu à sociedade que a prática da acupuntura já é feita de forma multiprofissional no Brasil. Hoje essa terapia faz parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde.

Mesmo assim, sem uma lei federal e certificações padronizadas, a acupuntura se transforma em uma fonte de controvérsia entre os médicos mais céticos e os terapeutas com ampla formação, pois estudos científicos não explicam totalmente como a pratica funciona na estrutura do nosso corpo.

Enquanto não se chega em um consenso sobre a legislação, cresce a oferta dos cursos de curta duração, que prometem uma ‘formação sólida’ para os futuros terapeutas. Isso aumenta a probabilidade de acidentes e a população é quem perde, pois fica mais exposta ao risco.

Acupuntura é eficaz e séria. Mas, para inserir agulhas de forma precisa, na profundidade correta, é preciso muito estudo e prática acompanhada para realizar os atendimentos com segurança.

Benefícios ao alcance de todos

A acupuntura como terapia de protagonismo – quando é a única terapia a ser utilizada -, pode oferecer bons resultados para:

  • ​aumentar a energia
  • ​reduzir a fadiga física
  • ​elevar obem-estar
  • ​aumentar a clareza mental
  • ​facilitar a digestão
  • ​reduzir dores musculares
  • ​reestabelecer obom humor e a alegria de viver

De acordo com a medicina chinesa, esse sucesso se deve ao fato dos sintomas acima estarem intimamente ligados ao fluxo dos meridianos do corpo humano.

Por seu custo não muito elevado, a acupuntura também é recomendada por muitos profissionais especialistas de saúde como terapia complementar, ou de apoio. Nos casos de insônia, por exemplo, as sessões de acupuntura se mostram bastante eficazes no apoio ao tratamento para reverter ou atenuar esse sintoma.

A maioria das pessoas percebe melhorias logo após a primeira sessão. Um dos resultados mais comuns é o relaxamento acompanhado por um aumento da energia.

Pode acontecer um breve ‘choque’ no momento em que as agulhas são inseridas, assim como haver uma sensação de calor na hora da manipulação das agulhas. Caso a dor ou o calor persistam no local após a aplicação, ela geralmente desaparece em um dia.

Ocasionalmente algumas pessoas, porém poucas, sentem que os sintomas pioraram e podem se sentir esgotadas ao final de uma aplicação. Na verdade, essa sensação pode significar que seu corpo está querendo dizer algo para você. Nesses casos ouça e procure dormir cedo. O descanso vai contribuir para que você restabeleça sua energia de forma natural.

Emoções também podem ser liberadas na acupuntura, com consequente redução da tensão. Essa reação é comum e, em alguns casos, pode até levar ao choro. É uma sensação que geralmente passa em poucas horas, seguida por uma sensação de alívio.

É possível que você também sinta espasmos musculares durante ou após a sessão de acupuntura. Isso pode ocorrer nos músculos que recebem a aplicação, mas também em partes aparentemente aleatórias do corpo, não próximas ao local da aplicação. Se durante ou após o tratamento você sentir espasmos, informe o seu acupunturista.

Pode acontecer de você sentir uma dor muscular mais prolongada no local da aplicação. Nesses casos, o acupunturista pode alertar se alguns dos pontos que ele utilizou podem provocar esses efeitos.

Evite

Um fato que poucos conhecem é que a acupuntura não serve para todos. Se você tem um marca-passo, tem problemas crônicos de pele, está grávida ou tem implantes de mama ou outros implantes, informe o seu médico. A acupuntura pode ser arriscada para sua saúde se você deixar de mencionar esses itens.

Como todos sabem as agulhas de acupuntura penetram na pele e são, portanto, um procedimento invasivo. Consequentemente, existe o risco de complicações, especialmente se a aplicação não for realizada por um profissional licenciado e bem treinado.

Alguns riscos do uso da acupuntura quando feito por profissionais não qualificados incluem:

  • Risco de lesão – lesões em nervos e estruturas vitais, que são raras entre os pacientes tratados por acupuntores certificados e bem treinados.
  • Omissão de cuidados alopáticos e tradicionais: isso pode levar a um diagnóstico ou tratamento inadequado das doenças. É por esse motivo que muitos acupunturistas e médicos consideram que para os casos mais sérios a acupuntura ocupa o papel de terapia complementar ao tratamento convencional.
  • Eventos adversos: sangramento, hematomas em grandes áreas, tonturas persistentes, náusea, parestesia intermitente ou alteração permanente da sensibilidade no local da aplicação.

Se uma das situações acima ocorrer durante seu tratamento com acupuntura, certifique-se que os benefícios superam os efeitos colateral. Lembre-se que o objetivo dessa prática é otimizar o equilíbrio do corpo e promover processos de cura.

É importante que você reconheça se esses efeitos fazem parte do tratamento.

Escolha

Agora que você sabe como avaliar algumas reações normais e outros efeitos de uma sessão de acupuntura, aqui vão algumas dicas de como escolher um bom profissional:

  • Se você recebeu um diagnóstico de tratamento por um médico, pergunte a ele se a acupuntura pode ajudar e se ele tem alguma indicação.
  • Escolha um praticante de acupuntura recomendado por várias fontes. Além das redes sociais, amigos e familiares também podem servir de referência para indicar um profissional qualificado.
  • Alguns planos de saúde cobrem o custo das aplicações de acupuntura e possuem profissionais para indicar. Nesses casos, o terapeuta tem sua formação avaliada por uma equipe do plano de saúde para participar do processo de reembolso. Consulte seu plano antes de iniciar um tratamento.

Se você iniciar um tratamento com a acupuntura tenha em mente que não existe mágica e é necessário um prazo para surtir efeito. O mais importante é reconhecer que ninguém conhece seu corpo melhor que você e perceber se há melhora no decorrer do tratamento. Se a resposta for negativa, agora você já sabe o que fazer. Se for positiva, continue e recomende para que outras pessoas obtenham o mesmo benefício.